Notícias
Dos tachos sobre fogões a lenha, como manda a tradição, a goiabada cascão e o doce de leite preparados no interior do estado são garantia de água na boca de consumidores dos quatro cantos do planeta. Mas as iguarias, a despeito do apetitoso mercado de sobremesas, não estão imunes ao vírus da crise econômica, o que obrigou os fabricantes a buscar novas estratégias para aumentar as vendas e reduzir o custo da produção. Este é o tema da terceira reportagem da série “Driblando a crise”, que o Estado de Minas publica às segundas-feiras. Não é uma tarefa fácil baratear a produção e ao mesmo tempo ampliar as vendas, mas, em São Bartolomeu, distrito de Ouro Preto onde a goiabada cascão é uma tradição com mais de 200 anos, fabricantes conseguiram a façanha. O lugarejo, cortado pelo Rio das Velhas e cercado de montanhas, é referência na produção do doce. Em…
Após terminar a estrada de terra em Cedros, o destino é a cidade de Ponte Nova, onde a Rota Imperial passa por dentro da cidade. O município é cortado pelo Rio Piranga, um dos formadores do Rio Doce, tem cerca de 60 mil habitantes e boa estrutura para receber turistas. Há várias opções de hotéis, locais para comer, um comércio variado e pontos turísticos que valem a visitação. Um local que merece visita, por exemplo é o Hotel Glória, que foi inaugurado em 1925 e era um dos mais luxuosos da cidade, com pinta de palácio. Embora esteja fechado para reforma e só seja possível ver a fachada, o hotel é imponente, além de já ter recebido hóspedes ilustres, como o presidente Juscelino Kubitschek. É também de Ponte Nova a tradição das produções de goiabada cascão. Há desde pessoas que fazem o produto para consumo próprio e para presentear visitantes…
Diário do Comercio Criada para dar vazão à safra de goiaba, que corria o risco de não ser aproveitada, a goiabada se tornou um dos doces mais populares do Brasil. No Estado, faz dupla com o queijo Minas, que ganhou nome de romance: Romeu e Julieta.A cidade de Ponte Nova, na Zona da Mata, é conhecida por ter uma das receitas mais tradicionais de goiabada cascão do Estado. O gestor da fábrica mais antiga da região comemora um crescimento de 15% de janeiro a agosto de 2015, sobre idêntico período de 2014, planeja novos lançamentos e decreta: "não existe crise para goiabada".O sócio-diretor da Goiabada Zélia, Renato Mol, faz parte da quarta geração no comando da empresa e fala com entusiamo da produção, que deve chegar a 80 toneladas este ano. " uma empresa familiar. Datamos a inauguração como em 1950, mas ela já existia antes, com outros nomes, e…

 

PARTICIPE DAS NOSSAS REDES SOCIAIS